segunda-feira, 25 de janeiro de 2016

Novos hábitos, fim dos dias...

Em uma outra época padecíamos da falta de acesso à informação e vivíamos cegos e alheios a uma série de questões e acontecimentos. Paradoxalmente, hoje padecemos exatamente do oposto, vivemos na era da hiperinformação. Recebemos uma avalanche de textos, imagens, fotos, notícias, muitas sem pertinência alguma. Ficamos atolados e exauridos de tanta informação e alheios sobre o que realmente importa.
Esta semana, quase 10 dias depois, soube da morte do índio assassinado no colo da mãe enquanto o amamentava. Ontem publiquei um desenho sobre isso e umas das coisas que mais me chocou foi ler comentários de pessoas que disseram estar sabendo daquela triste história ao ver meu desenho em seus feeds. Relacionado ao tema do genocídio indígena, ontem assisti um documentário sobre a Monsanto e fiquei impressionada com a situação de terrorismo alimentar que vivemos. Tanto a morte do índio, quanto o documentário estão disponíveis na web, mas com TANTAS INFORMAÇÕES FÚTEIS, ninguém vê. E como eu disse, estando na web, não precisamos nem devemos esperar que a grande mídia noticie e veicule as verdades que precisamos saber, até porque o interesse das grandes corporações são diametralmente distintos do interesse da população.
Além disso, ter acesso à informação já não é mais justificativa para nada. Pois se antes se dizia que "nada pode ser feito" por "não sabermos de nada", hoje permanece NADA SENDO FEITO, só que agora sabemos muito.
Sabemos que a produção animal é uma prática insustentável e suicida que mina nossa água, devasta nossas florestas e biodiversidade, sabemos que os transgênicos são foram criados para "matar fome da população mundial", já que os famintos permanecem com fome, e os consumidores de alimentos transgênicos estão sendo COBAIAS de suas consequências (já que não se sabe as consequências da transgenia), os que se opõem à isso, por vezes consome também, já que os avisos nas embalagens estão sendo retirados. Sabemos que os que resistem ao agronegócio in loco (sobretudo os povos indígenas) estão sendo massacrados e a mídia ainda vende a imagem de que o índio é bandido. Sabemos que comemos veneno, pois a agroindústria tem se valido da biotecnologia para aumentar os lucros e envenenar seus consumidores para acelerar o plantio, colheita, para engordar o gado, para aumentar a produção do leite. Sabemos que não nos importamos com os animais, pois mesmo que tenhamos nosso gatinho, nosso cachorrinho, e dizermos "amamos animais", são os cadáveres deles e o sofrimento deles que alimenta a maioria da população, mas isso é naturalizado. E não adianta falar em cadeia alimentar, pois aqui ninguém vai pra mata CAÇAR, nem come bife cru. Existem uma infinidade de alimentos ricos em proteína, ferro etc que estão disponíveis em outras fontes alimentares, nós sabemos disso. E sabemos também que leite não é alimento saudável (se nos tempos da nossa vó era?..., há controvérsias, mas hoje não mais).
Já está acontecendo: queimadas e derrubadas de floresta para plantação de soja e outros transgênicos, para criação animal, expulsão de famílias da zona rural para obtenção de mais espaço, submissão de agricultores ao agronegócio e sementes patenteadas, uso indiscriminado de venenos, aumento das mais variadas doenças (cânceres, doenças degenerativas, alergias alimentares, etc) em consequência de tudo isso.
Horizonte do que vem em breve: ficaremos sem espaço para criar animais e obter ração suficiente para alimentá-los, aumentarão os maus tratos aos animais, que serão submetidos a cubículos, a quantidade de água escassa não será possível para fazer queijos, iogurtes, hamburgueres e tudo mais que necessita de uma GRANDE quantidade de água para produzir. Somente os mais ricos terão acesso à essas "iguarias" e os pobres terão que comer subprodutos cárneos para em seguida serem submetidos a um veganismo forçado, regado à muitos alimentos transgênicos e repletos de agrotóxicos.
Ou seja, já estamos comendo veneno, e a tendência é aumentar, só que em breve com menos água, mais calor e menos poder de "decisão" sobre como agir. E eu nem mencionei sobre a exponencial geração de LIXO!
Mas para quê pensar nisso se posso ir agora ao mercado comprar minha cerveja de milho transgênico com uma bela carne para churrasco, né?

Danielle Barros IV Sacerdotisa


Saiba mais aqui:

Flow Por amor à água https://www.youtube.com/watch?v=7qpzeoIp_2E
O mundo segundo a Monsanto https://www.youtube.com/watch?v=sWxTrKlCMnk
Conspiração da vaca (parte 1/7) https://www.youtube.com/watch?v=X0CSpNHEbmg